Tag Archives: Family

My wishes for 2018

I would like to wish everybody a wonderful 2018 with lots of health, love, happiness and work. Appreciate more, open doors, build bridges, judge less, love more, share your time and talents with others, listen. Respect differences and others. Sallow your pride when possible and burn bridges when needed. But first of all, LOVE YOURSELF and know that you are important. You may not recognize it but for some people YOU are the World!

For my part, I will visit the people that I love and that are important to me. December brought me something I thought it was lost forever (I will tell you more later in 2018). I will continue to travel and to invest in my beautiful children, they are my everything. They are beautiful, they challenge my patience, they are wonderful young adults and ready for life but they will always be my babies and I love them with all my heart. Sometimes we have our issues but they are my reason to live, my source of love and my pride. I want the best for them and I want them to be happy and proud of themselves.

Advertisements

5 Difficult Situations Where ‘Letting Go’ Is The Best Decision You’ll Ever Make

1. When the people you love hurt you

We’ve all been hurt before. We let people in, and they shatter us. So we develop a ‘thick skin,’ as they tell us we should. But there are two different types of thick skin, the good and the bad. The first is when you develop resilience that keeps you strong; you don’t let people’s mistakes shatter you. The second is when you hold on to the fear of getting hurt. So you develop this ‘thick skin’, coated with fear and avoidance, as a barrier to block people out. This will ruin you; to avoid attachments for the fear of getting hurt is to avoid life.

2. When your bad habits turn into poison

We all have bad habits. While sometimes a bad habit is as simple as biting your nails, a bad habit can also turn into an anchor that prevents you from reaching your full potential. The thing with bad habits is that they provide us with comfort, so we just keep going back to them. Our brain tricks us into thinking that we must keep going back because that is the pattern of destruction we have created. But bad habits aren’t constricted to smoking, excessive drinking, and gambling. Bad habits can also be people you keep going back to, poisonous thoughts you hold on to, and self-abuse. In order to finally free yourself of the shackles that bind you to these habits, you must understand that a habit is a cycle. Each time you re-perform an activity, it just gets easier and easier to perform, and it eventually doesn’t require mental effort. So, you become stuck in a vicious cycle. Once you recognize this, you can overcome it.

3. When you put up a good fight, but you lose

It’s hard to let go of something you’ve put so much time and energy into. One of the worst things in life is putting so much effort into something, only to have it turn into ‘wasted effort.’ But what most people do not realize is that effort is never wasted. Sometimes you put everything you have into something, and it fails. But the lessons you learn about yourself and the world around you can propel you forward to even greater things. You must learn how to harness the energy you put into something and use it, along with the lessons you learned, as a catalyst for other ambitions in life. Don’t let the thoughts of wasted effort hold a sour note in the back of your mind.

4. When you fall in love with someone you aren’t compatible with

Contrary to popular belief, it does happen. Your ‘perfect match’ and the person you love do not always have to be synonymous. We are often told that we will fall in love with people we are compatible with; this is the biggest myth. People fail to accept the idea that the person they love might not be right for them because they were taught to believe that love always wins. In a perfect world, this might be true, but this world is far from perfect. Sometimes logic and circumstances get in the way. Sometimes you love someone, but they just aren’t good for you. So take a good, hard, look in the mirror, and tell yourself to leave before it hurts too much to look at them.

5. When you enter a new chapter in life

As we grow, we enter new chapters in life. We move to new cities, we leave old friends, people leave us, we grow, and we learn. It’s just a part of how life works. People tend to hold on to what they think their life should look like, in fear of venturing into an unfamiliar chapter. Think of life as your favorite book: some chapters are worse than others. In one chapter someone dies, and in another someone falls in love. You should always look forward to new chapters, because who knows what might happen. The next chapter may be better than the last, or worse, and that’s okay. Imagine reading a book and going through each chapter while your head is stuck thinking about the second one. You find yourself on the last page, and the whole book is a blur. You don’t want your life to turn into a blur. Whether you like it or not, your life will change, and life doesn’t stop to ask whether or not you want to board the ship. So be present and don’t be afraid to make transitions.

Credits: Yasmine Amin / Thought Catalog

A arte de ser sábio consiste em ignorar com inteligência

Sábio não é aquele que acumula muitos conhecimentos e experiências, e sim aquele que sabe usar de forma eficaz cada coisa aprendida, e além disso é capaz de ignorar tudo aquilo que não é útil, que não lhe permite crescer para avançar como pessoa.

Viver é, no fim das contas, economizar e saber o que é importante. Agora, parece que a maioria de nós não aplica esta simples regra: segundo um estudo realizado pela Universidade de Harvard, as pessoas têm uma capacidade surpreendente de concentrar a sua atenção em coisas que “não estão acontecendo”. Isto é, nos preocupamos com aspectos que não são importantes, minando a nossa própria capacidade de sermos felizes no “aqui e agora”.

A primeira regra da vida nos indica que a pessoa mais sábia é aquela que sabe ser feliz e que é capaz de eliminar da sua existência tudo aquilo que lhe faz mal ou que não é útil.

A arte de saber ignorar não é nada fácil de aplicar em nosso dia a dia. Isso se deve ao fato de que ignorar supõe, muitas vezes, nos afastarmos de certas situações e inclusive de certas pessoas. Portanto, estamos frente a um ato de autêntica valentia, que vem precedido sempre de uma avaliação inteligente.

Ignorar é aprender a priorizar

Ser feliz é a arte da escolha pessoal. Podemos ter sorte em um dado momento, mas na maioria das vezes a felicidade vai depender de nós mesmos e das decisões que tomarmos.

Para isso, é necessário adquirir uma perspectiva não apenas mais positiva das coisas, como também mais realista, onde o autoconhecimento e a autoestima sempre serão fundamentais.

A vida é muito curta para nos alimentarmos de amarguras e de frustrações: descarregue as suas lágrimas, ignore as críticas e rodeie-se daqueles com quem você se importa e que acrescentem algo para você de verdade.

Como aprender a estabelecer prioridades

Para aprender a estabelecer prioridades é preciso dar a cada coisa que nos rodeia o seu autêntico valor. Não o que pode ter de forma objetiva, e sim o que pode acumular em função das nossas necessidades e desejos. Para isso, é preciso seguir estas dimensões.

Se para você é difícil escolher entre o que é importante e o que não é, é porque você tem um conflito interno entre as coisas que você quer e as que você sabe que lhe convêm.

Existe o medo de “ficar mal”, “ferir” ou inclusive de agir de uma forma diferente de como os outros esperam se nos atrevermos a quebrar vínculos.

Quanto maior o nível de estresse e ansiedade, mais difícil será estabelecer prioridades. Portanto, reflita sobre quais situações e quais pessoas têm valor real para você em momentos de calma pessoal, quando você se achar mais equilibrado e relaxado.

Pense naquilo que é importante para você e não para os outros; não tema as críticas alheias ou o que possam pensar em função das decisões que você quer tomar.
Entenda que priorizar não é apenas ignorar o que nos prejudica, é reorganizar a vida para encontrar espaços próprios para ser feliz.
menina-com-coruja

Ignorar certas pessoas também é saudável

Segundo um trabalho interessante publicado na revista Live Science, os relacionamentos pessoais que causam estresse ou sofrimento afetam a nossa saúde mental. Experimentamos um aumento do cortisol no sangue e na pressão arterial, a ponto de aumentar o risco de sofrermos problemas cardíacos severos. Não vale a pena.

Aprender a ignorar quem não nos acrescenta nada

Não se trata de brigar, nem de usar ultimatos ou chantagens. Saber ignorar é uma arte que pode ser realizada com elegância e sem chegar a extremos desnecessários. Para isso, tenha em mente estes aspectos para refletir.

Não se preocupe com o que você não pode mudar: aceite que esse familiar continuará tendo essa atitude fechada, que o seu colega de trabalho vai continuar sendo intrometido. Deixe de acumular emoções negativas como raiva ou a frustração e limite-se a aceitá-los do jeito que são.

Ignore críticas alheias enquanto você aumenta a sua própria confiança. É muito provável que, na hora em que você decidir tomar distância de quem não interessa, apareça a rejeição. Entenda que as críticas não definem você, elas não são você. Fortaleça a sua autoestima e saboreie cada passo que você dá em liberdade, longe de quem o prejudica. É um triunfo pessoal.

Quando a ajuda é uma atitude interessada: é importante aprender a discriminar essas atitudes de supostos altruísmos. Há quem repita sem parar essa expressão de “eu faço tudo por você, para mim você é o mais importante”, quando na verdade a balança desse relacionamento sempre pende para um lado que não é o seu. Nunca existe o equilíbrio.

Quanto mais leve, melhor. Na vida, vale a pena contar com “pessoas” e não acumular “gente”, portanto, priorize e avance leve: leve de aborrecimentos, raiva, frustrações e principalmente de pessoas que, longe de valer a alegria, só valem penas e distâncias.

A arte de ser sábio é compreender quais vínculos é melhor deixar de alimentar sem ter nenhum peso na consciência por ter dito “não” a quem jamais se preocupou em dizer “sim”.

TEXTO DE Valéria Amado
FONTE A Mente é Maravilhosa

Como a adversidade nos pode transformar

Esta é uma boa lição para todos nós, não importa em que fase da vida…

Uma jovem foi conversar com sua avó, e contou sobre o quanto as coisas estavam difíceis na sua vida – o marido a havia traído e ela estava arrasada. Ela não sabia o que ia fazer e queria desistir. Ela estava cansada de lutar e brigar. Parecia que assim que um problema estava resolvido, um outro surgia.

Sua avó a levou para a cozinha. Encheu três panelas com água e colocou cada uma delas no fogão. Assim que a água começou a ferver, colocou em uma das panelas cenouras, em outra colocou ovos, e na última colocou café, sem dizer uma palavra.

Cerca de vinte minutos depois, ela desligou o fogão, colocou as cenouras em uma tigela e os ovos em outra. Então pegou o café e derramou o líquido em uma terceira tigela.

Virando-se para a neta, ela disse: “Diga-me o que você vê.”

“Cenouras, ovos e café,” ela respondeu.

Sua avó trouxe as tigelas para mais perto e pediu que a neta experimentasse as cenouras. Ela obedeceu e notou que as cenouras estavam macias. A avó então pediu que ela pegasse um ovo e o quebrasse. Depois de retirar a casca, ela observou o ovo cozido.

Finalmente, pediu que a neta saboreasse o café. A neta sorriu ao provar seu aroma delicioso, e perguntou: “O que significa isso, vovó?”

Sua avó explicou que cada um deles havia enfrentado a mesma adversidade: água fervente. E cada um reagiu de forma diferente. A cenoura era forte, firme e inflexível. No entanto, após ter sido submetida à água fervente, amoleceu e se tornou frágil. Os ovos eram frágeis – sua casca fina protegia o líquido no interior, mas depois de colocados na água fervendo, seu interior se tornou mais rijo. No entanto, o pó de café foi o único que, depois de colocado na água, mudou a água.

“Qual deles é você?”, perguntou a avó. “Quando a adversidade bate à sua porta, como você responde? Você é uma cenoura, um ovo ou o café?”

Pense nisso: Quem sou eu? Sou como a cenoura que parece forte, mas murcho com a dor e a adversidade? Fico frágil e perco a força?

Será que sou o ovo, que começa com um interior maleável, mas muda com o calor? Será que eu tenho um espírito maleável, mas depois de uma morte, uma separação, uma dificuldade financeira ou algum outro julgamento, eu me torno mais difícil e dura? Será que minha casca parece a mesma por fora, mas no interior estou mais amarga, com o espírito e coração endurecidos?

Ou eu sou como o pó de café, que muda a água quente – a própria circunstância que traz a dor? Quando a água fica quente, ele libera a fragrância e o sabor. Se você é como o café, quando as coisas estão no seu pior, você melhora e muda a situação em torno de você. Quando o momento é de escuridão e os obstáculos são mais difíceis, você se eleva a um outro nível?”

Como você lida com a adversidade? Você é uma cenoura, um ovo ou o café?

Espero que você tenha felicidade suficiente para lhe trazer a doçura, obstáculos o suficiente para lhe trazer a força, tristeza o suficiente para mantê-lo humano, e esperança suficiente para fazer você feliz. As pessoas mais felizes não têm necessariamente o melhor de tudo – elas simplesmente aproveitam ao máximo tudo o que vem em seu caminho. Que todos nós possamos ser como o café!

Fonte

To my Father

Today is Father’s Day in Portugal and therefore I would like to tell him this:
I asked my Mother to have you as a Father and she said YES. We didn’t have a good relationship but I always admired your intelligence and the way you treated her. I didn’t like when your parents disagreed with you in front of me because you are my Father. I never liked the way you taught me things from school but later I understood why and I did the same to my kids (not giving them the answers, telling them to investigate). You made me think when I just wanted answers. You taught me what life was before you came to Belgium (counting money to meet the ends and making priorities). Thanks to you I also learned to love good music.
I loved your speach at my marriage and when you took me for a walk and encouraged me to be a good Father for my children. I also loved many other things I didn’t and never will say. In spite of the few things that you still do and really get on my nerves, your good things are a lot more important. Therefore I want everybody to know that I am thankful for everything you did to me and gave me. You were and are my secret hero. And yes, I always loved you and that feeling will always stay.

2015 year review

Goodbye 2015, you will not be missed. You were the worst year of my life. Today a year ago I knew that something I’ve always dreamed of was coming to an end but I never thought that it would be this painful. My efforts were endless, I gave my best to my family but it was not ment to be. My efforts, my worries and my love were misunderstood and with a lot of pain in my heart we divorced. I wanted to be a husband, a best-friend, a protector, a provider, a lover, a father…

I came out better than I thought, I bought a wonderful small apartment, I am rebuilding my relationship with my dear children (almost adult by now) and I am starting all over again. This year I learned who my real friends are. You are too many to mention but you know who you are. I always got a tender word when I needed, a hug when I was breaking appart, long distance telephone calls that lasted for hours, I was invited to lunch and dinner…

We had our big differences but my oldest daughter Nadia was a rock to me and always gave me the strength I needed when I was sinking. To her goes a very special “thank you” and “I love you to the end of the universe and back”.

I would like to thank to my friends living at the other side of the globe, the long chats, the changing of ideas… my deepest gratitude goes to my dear cuban-american friend Gloria. She has been there for me for many years now. Although we never met she has been there for me in many hard times of my life since 2009. Ik love you Gloria, you’re the best and I hope that you will find the man that deserves you and your children.

Maria, thank you for the long talks, the long chats, you going to Portugal earkier just to meet me… that meant a lot! I also love you a lot.

Alfredo, José, Katleen, Joana, Peter, Sara, Stien, Marc, Nadined, Isabel,Rui, Elisabeth, Beatriz, thanks for always being there from the first moment we met.

I also would like to thank my colleagues from work and managers, they were my strength this year. Thanks to my work I was able to be diverted from my thoughts and worries.

I can’t forget my former neighbours either. They sent me Christmas cards and best wishes. My family in Portugal also was there for me, specially my dearest loving sister Marta. I love you, I adore you and I will always be there for you. You were my rock!

2016 will be better because it can’t be worse than 2015 was. From now on the only way is up. I wish all of you a great 2016 and may all your dreams come true.